quarta-feira, 5 de maio de 2010

Os dedos iam bailando



Os dedos iam bailando
Sobre uma flauta encantada
Que se deixava acariciar suavemente
Por lábios que falavam música
E música que evocava sonhos
Imortalizados em partituras seculares…
Só em silêncio
Se escutava dignamente este despertar
De sons que se enamoravam no ar.
E os olhos e as mãos
Entregavam-se a ritmos conciliados
Com braços em asas
Que se faziam voar.
E a harmonia se instalava
Numa sala de soalho velho
Habitada por um piano preto
Com janelas abertas para um Rio
Que caminhava para o mar
E o músico…
Esse abandonou-se às sonâncias
Numa simbiose perfeita
E como o sol ao despedir-se em fim de tarde…
Ali se deixou imortalizar!



Assim descreve esta amiga a minha participação musical na tarde de poesia no Clube Literário do Porto, no dia 24 de Abril. Obrigado pelo belo poema!

11 comentários:

  1. Obrigada pela tua presença nessa tarde maravilhosa!!!
    Beijinhos
    claudia

    ResponderEliminar
  2. As coisas que nós vamos perdendo... :)
    Outras havemos de ganhar!!
    O poema está saído da Lua :)

    ResponderEliminar
  3. Maria Mamede06 maio, 2010

    Olá meu Amigo Zé Rui, boa tarde.
    Parabéns aos dois, Ana Cláudia e Zé Rui.
    Foi bom, muito bom estar convosco de novo. Espero muitos mais encontros, embora saiba que será difícil.
    Bjs.
    M.M.

    ResponderEliminar
  4. Não estive no Porto nesse fim-de-semana... com muita pena. Não voltarei a perder o som dessa flauta.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Oh..., J.Rui...O IMORTAL...

    Não levem a mal, a sério! Estou apenas contente comigo prória. Bem-disposta. E depois dá-me para brincar! Mas garanto-vos que é uma brincadeira saudável!!!

    E..., ó J. Rui..., não há um comentário(inho) em nenhum dos meus blogues..., sinto falta de bons comentários!

    Abraço para si e à autora do poema: Ana Cláudia Albergaria!
    Tudo de Bom!!!

    ResponderEliminar
  6. antes de chegar ao fim pensava... tanta coincidência com a foto!
    muito bonito, zé rui!
    fiquei baralhada com a tua presença no dia 24 no clp. porque não fui eu assistir? não me recordo de ter dito que vinhas ao porto!
    tenho que andar para trás no tempo...

    um beijo
    luísa

    ResponderEliminar
  7. dia 24 foi um sábado... que estranho!

    ResponderEliminar
  8. Luísa, na tarde do dia 24 estiveste em Braga, na livraria Centésiama Página, a apresentar o teu livro "Pin - Uma explicação de ternura".
    É que diz o teu blogue, e me disseste por e-mail!

    ResponderEliminar
  9. ... mesmo a "matar" José Rui. Já se ouve.
    hoje não houve um sem dois, nem dois sem três comentários :)
    Para quando uma tarde poética-musical, cá para os lados de Lisboa?

    Bom fim-de-semana!

    (eu também tenho andado mais atarefada. amanhã o evento é um espectáculo de dança - uma academia - não tinha a noção que existiam tantas escolas de dança, de todo o tipo. Sevilhanas..., vou ter que ir durante o dia, mas à noite não sei se ficarei até ao fim. ando cansadita)

    ResponderEliminar
  10. *•♪♫•*♥•♪♫•*¨*•.¸¸♥Bom regressar aqui.
    Tanto que tenho perdido...*•♪♫•*♥•♪♫•*¨*•.¸¸♥
    Ainda

    h
    e
    i-de ouvir-te tocar um poema.

    Parabéns à autora do belo poema e a ti que o inspiraste.
    Beijossssssssssssss
    *•♪♫•*♥•♪♫•*¨*•.¸¸♥

    ResponderEliminar