quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Bom ou mau

Ser bom, ser mau... isto talvez se resolva pela matemática, uma média aritmética. Se a matemática é infalível, isto deve dar um "mais ou menos"...
Errado! Na vida não se é "mais ou menos"! Umas vezes conseguimos ser bons, outras nem por isso. Fundamental é que os dias em que chegamos ao fim com a sensação de dever cumprido, tranquilos na nossa consciência, prevaleçam sobre os menos bons... aqueles em que achamos que não fizemos o nosso melhor, ou que alguém não teve um dia bom por causa da omissão do que de bom poderíamos ter dado.

11 comentários:

  1. Tento-me a dizer "Ai, Zé Rui, este texto doeu-me"!

    O professor de música da minha filha diz que ela é uma totó, porque não sabe as notas e não consegue tocar o "balão do João" na flauta. Vou tentar fazê-la perceber o teu post.

    ResponderEliminar
  2. Que aconteceu aqui?! Acabei de escrever um comentário a dizer-te que este teu texto me doeu e que o professor de música da minha filha lhe chama totó porque ela não sabe ler as notas na pauta e não consegue tocar o "balão do João" na flauta.

    Grrrrrrrrrrr....... Zé Rui: este teu colega deve ser um músico frustrado.

    O comentário estava mais suave, mas entretanto enfureci-me.

    ResponderEliminar
  3. Susana, agora estão as duas versões! Fica bem, a versão suave e a enfurecida!

    Olha que hoje acabei por mostrar este post a uma aluna minha! Eu dei por mim a falar disto, até que me lembrei que o tinha escrito! Mas ela já é uma adolescente. A tua filhota ainda está na idade de merecer alguma tolerância...
    Mas o meu colega já não... não sei como abordou a questão... estará ele a ser totó? Espero que encontre uma forma de melhor a ensinar e cativar!

    ResponderEliminar
  4. Entre o bem e o mal... a distância que medeia a essência humana, essa simplicidade relativa que faz pensar os homens.
    Um abraço
    Chris

    ResponderEliminar
  5. Um texto com o qual concordo plenamente.
    Às vezes não se é mau/má, é-se "totó" (achei graça à palavra e utilizo-a noutro contexto).
    E porque se é "totó"? Porque se calhar o dia não correu lá muito bem. Porque talvez tenha sido um dia trabalhoso, e já não se raciocina convenientemente. Porque..., sei lá mais o quê.

    Bom fim-de-semana José Rui!

    ResponderEliminar
  6. Olá José Rui
    No aceitar, que o ontem, foi menos bom, arranjamos folego para um amanhã melhor.

    Um abraço
    Eduarda

    ResponderEliminar
  7. Zé Rui: estou muito orgulhosa de mim. "Ensinei" a minha filha a tocar o balão do João na flauta. Ou melhor, ela ensinou-me para eu a ensinar. O único som "totó" é o DO. O som sai-lhe sempre tipo pifaro, não atina com a posição das mãos (deve ser difícil tapar os buracos todos com os dedos pequeninos, porque a mim sai-me bem). Tens alguma sugestão?

    ResponderEliminar
  8. Susana,
    Bem vinda ao meu curso de Flauta online! :)
    O Dó grave é a nota mais difícil na Flauta de Bisel! Requer que todos os orifícios estejam bem fechados e algum controlo no sopro (começar por soprar com mais suavidade). Não é uma música fácil para iniciar...

    ResponderEliminar
  9. Ora, sempre a aprender!! Controlei-lhe a parte dos buraquinhos, mas não tinha noção da influência do sopro.
    Então a música não é fácil para iniciar... depois a rapariga é que é totó. No coments... E o "Balão do João" também é uma música bem estimulante para pré-adolescentes, não? Já nem ao XY a canto... Bom, mas isto é conversa entre nós. Lá em casa é uma festa, só música!! E ela já está contente porque já sente que é capaz.
    Obrigadaaaaaaaa!

    ResponderEliminar
  10. Comentário da XX:
    "A sugestão daquele do teu blog resulta."
    A sugestão era soprar devagar no DO!
    Isto é que é o verdadeiro E.Learning!!

    ResponderEliminar