domingo, 21 de março de 2010

A divina tarefa

Susan Hazard: Spring Poppies I (2005)
(As nossas mãos humanas vão fazendo com que cada Primavera nasça mais triste. E há tanta beleza em cada flor que desperta... divina, essa tarefa que a natureza tão bem realiza!)

Não, tu não sabes abrir os botões
e convertê-los em flores.
Sacode-los, bates-lhes...
mas não está em ti fazê-los florescer.
Mancha-os a tua mão;
rasga-lhes as folhas
desfá-los na poeira...
mas não tira deles
nem cor nem perfume.

Ai tu não sabes abrir o botão
e convertê-lo em flor!
O que pode abrir os botões,
fá-lo tão naturalmente!

Olha-os, nada mais,
e a seiva da vida
corre pelas veias das folhas.
Toca-os com o seu bafo,
e a flor abre as asas
dando voltas no ar;
aparecem as suas cores
ruborizadas como anseios do coração;
e o perfume
trai o seu doce segredo.
Ai, o que sabe abrir os botões,
fá-lo tão naturalmente!
(1861-1941)

4 comentários:

  1. lindo poema, mas eu adorei a foto escolhida:
    primavera = flores, sol, alegria, vida.

    bonito post:)

    ResponderEliminar
  2. Eu gosto tanto da Primavera. É a estação em que me sinto melhor física e psicologicamente.
    Para mim é uma estação, que por um lado me transmite calma, por outro, fico mais activa.

    Isto não foi um comentário à publicação. Foi apenas um desabafo que considero saudável e natural.

    Tenho pensado: já que tivemos realmente Inverno, tomara que tenhamos uma Primavera a sério.

    Tudo de bom, J. Rui!
    Agora vou continuar a trabalhar!

    ResponderEliminar
  3. adoro papoilas!
    bonito o poema de fazer florir flores.
    um beijo

    ResponderEliminar
  4. bendito seja quem assim escreve... e quem assim escolhe os poemas que lê e nos oferece :-)

    bjs

    ResponderEliminar