terça-feira, 2 de março de 2010

A paz sem vencedor e sem vencidos

Uma homenagem à Organização das Nações Unidas,
a quantos ao seu serviço têm dado a vida para que outros a tenham,
para que haja Paz e não apenas a ausência de guerra.












Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Sophia de Mello Breyner Andresen
in Dual (1972)

4 comentários:

  1. Parabéns, um lindo poema e subscrevo a minha admiração pelas Nações Unidas que nos socorrem em todos os momentos.

    ResponderEliminar
  2. Mais um da Sophia que desconhecia... bela mensagem, bela homenagem às Nações Unidas... merecida homenagem!
    bjs
    claudia

    ResponderEliminar
  3. É bonito este poema. Gosto do pedido que nele é feito.
    Todos desejamos PAZ neste mundo. Uns com maior consciência, outros nem tanto.
    Muitos falam de paz e de guerra e de religião..., no minuto seguinte estão a falar de futebol. E mais, são sempre "experts" em política, e não só...
    Estou a falar do que ouço, do que vejo, do que leio..., e canso-me, e cada vez o cansaço é maior..., e..., boa noite José Rui.

    ResponderEliminar
  4. A paz sem vencedor e sem vencidos - muito, muito bonito. Não é só esta a verdadeira paz?

    ResponderEliminar