quarta-feira, 21 de abril de 2010

O poema nasce

Picasso: [Retrato de Marie-Thérèse Walter]















O poema nasce
dentro das tuas mãos
sempre que repousa
nelas o teu rosto.

Não é uma canção:
são os lábios apenas
quando despertaram
antes da palavra.

Arquitectura última
que depois se eleva,
porque tu a criaste
para sempre livre...

Fernando Guimarães

5 comentários:

  1. Criar. É esse o segredo que nos impele...

    ResponderEliminar
  2. tão terno!

    e há liberdade na ternura

    beijos

    ResponderEliminar
  3. Meigo e de uma tristeza amena.
    Assim o senti.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  4. As emoções em forma de poema... um poema cheio de emoção...
    Belíssimo

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. E porque é livre o poema, liberta as mãos que o escrevem e os olhos de quem lê, ainda que a alma e/ou o coração continuem, tanta vez, encarcerados.

    Bjs.
    M.M.

    ResponderEliminar