terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

De Amor, de Terra, e de Água

Há mais de um ano comecei a ler os poemas de Maria Mamede no seu blogue
De Amor e de Terra.
Mais tarde, pelos meus anos, uma grande amiga fez-me a surpresa de me oferecer o seu livro Lume.
Outros dos seus livros, dos quais já falei anteriormente, vieram até mim e me encantaram.
Desta vez tive o gosto conhecer pessoalmente a autora, e de participar no lançamento do seu livro Da água toda. Embalado nos seus poemas, senti-me tocar cada um deles, como se a Flauta fosse um prolongamento da clareza, expressividade e doçura da sua voz. Não procurei acompanhá-los como uma música de fundo, mas sim que o som da Flauta fosse naquele momento uma parte deles.

Este lançamento foi também um encontro de amigos, dos blogues e fora deles. E dos amigos dos amigos. Obrigado a todos que marcaram presença, e aos que, não podendo estar, desejaram o melhor para esta apresentação e para o mini-recital (grande em prazer) que pude oferecer a Maria Mamede.
Deixo o poema de abertura deste livro, esperando que abra o apetite a que leiam todos os outros que dele fazem parte.

Da água toda

Da água te falei amor, da água
e de lágrimas salgadas pela mágoa
imensa aridez em cada vida;
e do sal te disse amor, do sal
que salga, que tempera, o bem, o mal
e a hora da chegada e da partida!...
de lagos, de pântanos, de medos
e de mares de água e de segredos
de rios, rios férteis de abundância
de mares unos de sonhos tão dispersos
de oceanos de limos, os meus versos
e de marés de amor, suma fragrância!...

6 comentários:

  1. Meu querido Amigo Zé Rui, bom dia!
    É com imenso prazer que recordo a noite, para mim inesquecível, enriquecida MUITO, com a sua presença e a doçura bucólica da flauta.
    Minha eterna gratidão por toda a amizade e carinho que me dispensa.
    Bjs.
    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  2. Olá,

    com o que li, confesso que estou tentada em comprar o livro:)

    ResponderEliminar
  3. gosto imenso da poesia dela
    um beijo

    ResponderEliminar
  4. Olá José Rui!
    Conheço o blogue da Maria Mamede senão Há 1 ano, um pouco. e sempre gostei muito dos seus poemas, que comento à minha maneira, porque acho que não sei muito bem comentar poesia. A Maria também me dá o gosto de comentar algumas das minhas publicações.
    O poema que a Maria publicou no seu blogue, comoveu-me, e eu só consegui mesmo escrever isso.
    Este é igualmente um belo poema!... e a noite deve ter sido mesmo mágica, como eu previa.

    Abraço José Rui.

    (com que então... andar de bicicleta :) pois eu não sei se ainda sei. Há muito tempo que não ando)

    ResponderEliminar
  5. Fátima, há livros que são uma vida! Este assim o é...

    A bicicleta... :) é só uma questão de equilíbrio, também necessário!

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Aqui estou! Algo me diz que esta foi outra "grande festa"! Parabéns a ti e à autora!

    ResponderEliminar