terça-feira, 13 de outubro de 2009

Musical(idade)


Depois de trabalhar até tarde num rol de partituras, ouvi e sosseguei com este tema de Sakamoto, enquanto tomava Um Chá no Deserto. E gostei... da música e do Chá! Trouxe de lá um poema, escrito por AnaMar, para o Dia Mundial da Música:

E(n)levo
a
melodia rente ao coração.

Maestro que sabe de cor
sem ler
a
arte
e
técnica
de combinar os sons
sem
pauta
cem
notas
uma
clave de sol.

Orquestra
os
s
e
n
t
i
d
o
s
à flor da (minha) pele.

Música pelos teus dedos tocada...

Sinfonia ritmada
romance
paixão
aventura
tatuagem de papel.

11 comentários:

  1. Linda a música. Lindo o poema da AnaMar! Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Ola José,

    Ao que parece estivemos no mesmo espaço no sabado... nao nos conhecemos na altura... vim até aqui, ouvir a tua musica e o que encontrei?! Um poema da AnaMar... lindo e sentido como ela tao bem sabe fazer...! Posso servir-me tambem de um pouco de chá? Ouço a tua musica, bebo um gole de chá e falo no silencio ao coraçao dos amigos.

    Um beijo
    CA

    ResponderEliminar
  3. Paula, é como dizes: são belos!

    Cátia, serve-te, sff! Do chá e de tudo o que aqui te apetecer ler e ouvir. E volta de novo!

    ResponderEliminar
  4. Neste enlevo me envolvo. Neste som me embalo. Nestas palavras me aconchego. Foi bom passar por aqui
    um beijo

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito deste Chá musical e do ambiente acolhedor que o envolve.

    Voltarei para descobrir mais sentires que por aqui se contam.

    Obrigada pelas palavras que me deixaste.

    Cumprimentos

    Susana

    ResponderEliminar
  6. Caro José Rui
    Pois então não é que, fui beber "Um Chá no Deserto" e deliciei-me com uma das boas coisas da vida: - Poesia.
    Também por aqui entrei, pela primeira vez, e não é que também me surpreeendo, com o esmero do binómio : "Música - Poesia"?
    Existem várias coincidências meu caro, costela transmontana, o meu pai era de Rebordainhos, aldeia bem próxima de Bragança,cidade onde ainda hoje mantenho muitos amigos e familiares,local que me lembra a minha infância e adolescência, pois como deve saber, até algum tempo atráz, os pais, nas chamadas férias grandes, deslocavam-nos até ao colinho dos avós,e eu lá ía...
    As férias eram sempre passadas na cidade onde os meus avós residiam e na aldeia onte mantinham casa, daí o meu apego a essa zona do país, onde de vez em quando o coração me pede que visite.
    Mais uma coincidência, resido perto da Escola de Música NSDC.
    Diga-me honestamente, se tenho ou não razão, para de quando em vez regressar à zona mais linda da país?
    Tenho orgulho em ser, quase transmontana, só não nasci por ali,senão seria ORGULHOSAMENTE TRANSMONTANA.
    Um abraço
    Eduarda

    ResponderEliminar
  7. Estou longe de Lisboa.
    Em trabalho, na Serra. Cheguei há pouco, mudança de roupa, duche e na espera para o jantar, visito os amigos.
    Estou sem palavras. emocionada, o peito a transbordar de...alegria, vaidade, nem sei. A transbordar deste ar puro. A transbordar da pureza da musica que soltas e da meiguice com que usas as palavras que são de todos.
    Uma surpresa agradabilíssima...
    Resta-me em agradecimento, tentar orquestrar palavras que sintas como musica.

    (Mas quem gostava de te ouvir tocar era eu).
    1001 bjs

    ResponderEliminar
  8. AnaMar, a beleza das tuas palavras foi o prelúdio para esta mensagem. Sakamoto deu uma ajuda para sonoramente as ilustrar.
    (Muito gostarei que em breve me oiças!)

    Beijos 1000 (pelo teu poema!)+ 1 (que sempre daria!)

    ResponderEliminar
  9. À partida, simpatizo sempre com músicos. Talvez porque o meu filho, com cerca de 11 anos (hoje com 26), nos disse com toda a convicção: quero estudar música. Quero aprender a tocar piano.

    Hoje, também eu trabalhei até tarde e cheguei a casa ainda mais tarde. Agora, nem se fala..., já não consigo é ir "Tomar um Chá no Deserto", mas fui espreitar, e penso lá voltar, assim como aqui. Antes de dormir, ouvirei Sakamoto. Tenho quase a certeza que também a mim me dará sossego.

    Muito obrigada pela visita.

    Cumprimentos,
    Fátima.

    ResponderEliminar
  10. Contracena, obrigado pela sua simpatia!
    Agradeço a sua visita e não deixe de tomar "Um Chá no Deserto", a amiga AnaMar bem merece!

    ResponderEliminar
  11. que bonito aqui encontrar amizade na música e nas palavras.
    beijos à ana.mar e para ti, zé rui
    luísa

    ResponderEliminar