quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O Amor

O Amor.
Queremo-lo infinito.
Em nós e no mundo.
Chamamos por ele, e quantas vezes com a alma aos berros!
Não precisamos de tanto, o amor é pássaro assustadiço, foge dos nossos ruídos interiores.
Não é tempestade nem chuva que enlameie o nosso ser.
É antes nuvem clara, brisa suave.
Escancaramos a alma e ele parece não entrar.
E contudo basta-lhe uma pequena fresta.
Para receber o Amor mais puro não necessitamos gritar.
Basta abrir a alma em esperança, qual flor que se abre para recolher as gotas do orvalho.
José Rui

P.S. - Sim, depois vem a parte mais difícil... conservar, acrescentar, partilhar essas gotas de orvalho!...

9 comentários:

  1. Claro que sim. Muito bonito. Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Ai José Rui... é dos sentimentos mais espectaculares mas também o mais doloroso... com ele vem a angustia, a insegurança, o fim, a saudade...

    Numa visão global, teriamos um Mundo perfeito!

    Gosto de ver um homem falar de Amor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. "Engraçado" este texto.
    Tanto que eu poderia escrever sobre ele.
    Pensando bem..., está tudo num "écran" de um qualquer computador.

    (talvez não se precise de um amor infinito, mas que ele existe, existe! Quem procura nunca encontra, penso eu. E aos "berros" muito menos.
    (o P.S., fácil, mas é necessário querer)

    Tudo de bom J.R.F.

    ResponderEliminar
  4. mas o amor é partilha. só assim essas gotas de orvalho e essas pétalas de beleza podem ficar ainda mais belas
    um beijo

    ResponderEliminar
  5. talvez não seja a voz que grita... não, não é seguramente a voz que grita
    e quão diferente pode ser o grito

    um abraço

    ResponderEliminar
  6. Estamos, pois, em sintonia.

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Desculpa, não tinha feito o login, a vizinha anónima aqui de cima sou eu.

    ResponderEliminar
  8. Um texto suave e belo...
    A parte difícil....há sempre...
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  9. O amor é tudo, mesmo o que não se consegue dizer em palavras. Mas em gestos.
    E é confiança.
    É poema, canção, lembrança sem recordação. É dança. Musica. É ...

    Bj

    (Sim, parece que a Primavera veio mais cedo...Lol...Ou melhor, acho que ainda não foi...:-))

    ResponderEliminar