domingo, 1 de novembro de 2009

A Vida

Gustav Klimt: A árvore da vida (detalhe da zona central)

Hoje é o dia em que a tradição da Igreja Católica celebra aqueles que já partiram e, assim acredita, alcançaram já a plenitude da comunhão divina.
Isto faz-me reflectir sobre o que é a vida, esse dom que recebemos mas do qual não somos donos. Devemos ter consciência de que a vida nos é dada para a fazer frutificar! E não falo apenas de filhos, essa vida que nasce da nossa vida! Falo também de cultivar esse dom da vida no conhecimento, na vivência espiritual, no amor, nunca deixando que ela seja prisioneira das nossas próprias mãos. Viver na passividade é morrer antes de o corpo ter falecido! É assim que o próprio Homem introduz no mundo a verdadeira morte.
A vida e o que frutifica desse dom, quer circular continuamente tal como a água que corre: se a retemos torna-se salobra, estagnada, apodrece e morre. Colocarmo-nos voluntariamente à margem da corrente da vida, é o maior de todos os nossos pecados. É verdadeiramente a nossa entrega à morte eterna: não dar amor, e por vontade própria renunciar ao amor que nos é dado.
Procuremos então VIVER!

10 comentários:

  1. parece simples... viver e maravilhosamente florescer/frutificar como klimt!
    deixo um abraço

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela tua mensagem de Vida, muito bem-vinda neste dia de reflexão, de saudade.
    Que os outros descansem em paz...

    Deixo-te mais um abraço
    Tia

    ResponderEliminar
  3. Fez-me bem vir aqui hoje.Ajudou a repensar o quotidiano.
    Lembrou-me um dos poemas de vida de que mais gosto:

    "Sempre a desencorajada alma do homem
    resoluta indo à luta.
    (Os contingentes anteriores falharam?
    Pois mandaremos novos contingentes
    e outros mais novos.)
    Sempre o cerrado mistério
    de todas as idades deste mundo
    antigas ou recentes;
    sempre os ávidos olhos, hurras, palmas
    de boas-vindas, o ruidoso aplauso;
    sempre a alma insatisfeita,
    curiosa e por fim não convencida,
    lutando hoje como sempre,
    batalhando como sempre."

    Walt Whitman
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Walt_Whitman

    Agradecida pela mensagem

    ResponderEliminar
  4. Viver a vida, com Garra. Porquê. Não sei? Porque me deram a vida? Não sei. Não sei o que fazemos aqui, o porquê de existirmos. Sinto apenas a obrigação de ser, amar e respeitar. Este é um dia de saudade mais, entre todos os dias do ano. Mas também cada dia é um aniversário e apenas um uma festa.
    Hoje é mais um dia sem eles.

    Bj
    S

    ResponderEliminar
  5. Os Homens falam muito e fazem pouco.
    Iludem as acções com palavras.
    Melhor seria fazer mais e dizer menos.

    ResponderEliminar
  6. Pin, deveria ser simples... mas o Homem complica!...
    Retribuo esse abraço!

    Tia_Cunhada, só podemos desejar que todos alcancem essa plenitude de Paz, não é assim?
    Um abraço para ti!

    Eduarda, esse comentário faz-me sentir a enorme responsabilidade das palavras que aqui escrevo. Uma coisa é certa: na insignificância do meu ser, na fraqueza da minha condição humana e de tudo em que possa falhar, aquilo que aqui escrevo é verdadeiramente reflectido e sentido.
    Aqui a cumprimento e agradeço tão belo poema de Whitman.

    Susana, ora aí está um bom exemplo de atitude perante a vida, um assumir da responsabilidade de a ter!
    É também uma forma de honrar aqueles que já não estão entre nós!
    Um beijo para ti!

    Anónimo, bem-vindo, mesmo sem divugar o nome.
    Na verdade as nossas palavras têm mais sentido se traduzirem o nossos actos. Aquele que passa demasiado tempo a falar do bem, fica sem tempo para ser bom.
    Os meus cumprimentos e volte sempre.

    ResponderEliminar
  7. aprendamos a viver plenamente. e Klimt foi uma boa escolha
    um beijo

    ResponderEliminar
  8. Viver e não sobreviver.
    Viver aspirando o dia como se o ar faltasse.
    Viver tentando por um pouco de nós em cada coisa que fazemos.
    viver. à margem integrado saboreando cada momento ou a uma velocidade alucinante de quem acha que não tem tempo.
    Viver.
    Escrever e soltar palavras que o vento não leva é VIVER.
    Porque as palavras traduzem as acções que tivemos ou iremos ter. Quando são sentidas e vêm do mais fundo de nós e não são palavras para outros olharem sem ver
    Bj

    ResponderEliminar
  9. É evidente que concordo com as suas palavras e os seus conceitos acerca da vida, meu querido Amigo, mas às vezes, muitas vezes, é difícil...
    ter muita sensibilidade e viver neste mundo, é por vezes um feito Hercúleo.
    Haja mérito nessa teima!
    Bjs.
    Maria Mamede

    ResponderEliminar
  10. Se não ler ou ouvir falar nos dias de... nem me lembro deles, aliás, até embirro um pouco com eles.
    Em relação à vida e à morte, e como se costuma dizer, "cada um sabe de si"
    Quando a vida, repentinamente dá uma volta de 180 graus, devido à morte, e é nececessário reaprender a viver é..., ainda não descobri uma palavra que defina este facto.

    ResponderEliminar