sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

A um ti que eu inventei

Pensar em ti é coisa delicada.
É um diluír de tinta espessa e farta
e o passá-la em finíssima aguada
com um pincel de marta.

Um pesar grãos de nada em mínima balança,
um armar de arames cauteloso e atento,
um proteger a chama contra o vento,
pentear cabelinhos de criança.

Um desembaraçar de linhas de costura,
um correr sobre lã que ninguém saiba e oiça,
um planar de gaivota como um lábio a sorrir,

Penso em ti com tamanha ternura
como se fosses vidro ou película de loiça
que apenas com o pensar te pudesses partir.

9 comentários:

  1. Que bela forma de pensares em nós!

    ResponderEliminar
  2. Tão lindo poema que partilhas connosco! Gosto muito da forma como se expressa Gedeão. Muitos beijos.

    ResponderEliminar
  3. Se as palavras de Gedeão pudessem ser reais dentro de alguns de nós e nos tornassem incapazes de mutilar ou estilhaçar a beleza...
    Mas, talvez, para se perceber a delicadeza, seja necessário existir a rudeza.
    Que mundo tão controverso!

    Ana

    ResponderEliminar
  4. penso que quando assim se pensa os tons deste mundo em que vivemos são mais suaves e os seus traços mais ternos
    um beijo e bom ano

    ResponderEliminar
  5. Muito belo este poema. Romântico.
    Eu é que não ando nada romântica. Antes pelo contrário. Uns dias mais "atrapalhados" e lá se vai o romantismo todo.:)

    Abraço José Rui.
    Fátima

    ResponderEliminar
  6. Contracena: Como me identifico com os "atrapalhados" estraga romantismo!
    (Desculpem meter-me na vossa conversa, mas não resisti ao comentário!)
    Zé Rui: o desafio que deixaste no water dream deu um resultado delicioso. Os aforismos estão absolutamente criativos! Arrastas-te toda a gente. Típico de Flautista de hamelin!! ;)

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia este poema... tão belo e divertido. Fiquei a conhecer; é o que faz passar por aqui :-)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. Há muitos anos atrás, perguntava-me muita vez, como é que um Matemático, um Bancário e/ou Químico, seriam capazes de falar de Amor...
    depois, depois aprender que nesta vida, tudo é possível!
    Bjs.
    Maria Mamede

    ResponderEliminar