terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Fim e recomeço

Leslie Marcus: Lovers
























Não pode ser luar esta brancura

Nem aves batem asas sobre o leito
Neste quebrar de corpos fatigados
Será em mim o sangue que murmura
Em ti serão as luas do teu peito
Nos jogos do amor recomeçados

12 comentários:

  1. Curioso, gosto anto de saramag e nunca lhe tinha lido um poema! Um poema incisivo, como toda a sua literatura. Gosto.

    E o meu conselho musical, a caminho? ;)

    ResponderEliminar
  2. Susana, se não conheces a poesia de Saramago, este poema (para ler, ouvir e ver) é imperdível: Ergo uma rosa...

    ResponderEliminar
  3. Pois, Susana... a pretexto dos direitos de autor foi retirada a versão ao vivo, cantada por Luis Pastor. Mas podes agora ver uma versão informal feita em Lanzarote.
    E para ouvir Luis Pastor também já lá está uma solução!

    ResponderEliminar
  4. A poesia de Saramago é pouco conhecida, mas a sua sonoridade é belíssima.
    Obrigado pelas tuas palavras no meu recanto...
    Um abraço
    Chris

    ResponderEliminar
  5. Já ouvi. Catita, ainda que o "espanhol" me irrite um pouco no caso particular. Falta ali uma boa voz Portuguesa. Coisas dos meus gostos ;)
    Obrigada pelo link!

    ResponderEliminar
  6. Hoje até gostei de ler Saramago... muito.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Bela tela. O poema também.

    (substantivo e verbo que fazem doer)

    Liberdade poética:

    "Aprendamos, amor, com estes montes
    Que, tão longe do mar, sabem o jeito
    De banhar no azul dos horizontes.

    Façamos o que é certo e de direito:
    Dos desejos ocultos outras fontes
    E desçamos ao mar do nosso leito."

    [José Saramago]

    ResponderEliminar
  8. Acho que tenho que cuscar este outro Saramago...

    ResponderEliminar
  9. Fátima, obrigado por acrescentar aqui outro belo poema.
    Acho que estamos a levar outros leitores à poesia de Saramago! Pelo que aqui se lê...

    Abraço

    ResponderEliminar
  10. E Estão mesmo:-).
    Eu que recuso o escritor, com excepção do "Ensaio sobre a Cegueira", segundo livro que tentei ler e li...devorei, há muito tempo, fiquei fascinada com este lado poético, tão belo.
    Este cantinho é surpreendente. Sempre.
    Grata pelo meu enriquecimento, cada vez que te visito :-)
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Tambem eu vim aqui descobrir poemas de saramago, nunca li nenhum antes... agradável surpresa! Gostei!

    obrigada

    ResponderEliminar